Namoro na terceira idade: tudo o que você precisa saber

namoro na terceira idade
Em Saúde - 26-01-2018

O namoro na terceira idade, cada vez mais deixa para trás o mito da velhice inativa e é uma realidade em muitas famílias. Mas, se por um lado, o relacionamento afetivo traz bem-estar e muitos benefícios, por outro, ainda encara o preconceito da sociedade.

 

 

O país conta hoje com 205 milhões de habitantes. Desse número, 14% são idosos. O volume é superior ao percentual de crianças, que é de 12,9%. E esse cenário provoca mudanças também no comportamento da sociedade, com idosos mais ativos e independentes.

 

 

Saiba agora tudo sobre o namoro na terceira idade!

 

 

Namoro na terceira idade traz muitos benefícios para a saúde

 

 

Quem não gosta de se apaixonar e começar uma relação a dois? Paquerar e viver um amor não é mais exclusividade de adolescentes e jovens adultos. Os idosos também estão redescobrindo os prazeres da afetividade. Confira os principais benefícios:

 

 

Combate à depressão

 

 

Embora não deva ser vista como uma situação normal, a depressão costuma ser um problema comum em idosos. A preocupação com possíveis problemas de saúde e a solidão são gatilhos para essa doença e o namoro pode ser um santo remédio.

 

 

Ao se relacionar afetivamente, o idoso experimenta novas sensações, ganha um novo sentido de vida e se sente mais feliz, diminuindo as chances de desenvolver a doença.

 

 

Resgate da vaidade e cuidados com a saúde

 

 

Todo mundo já sentiu o desejo de estar mais bonito para agradar o parceiro. Na terceira idade isso não é diferente.

 

 

O namoro contribui para que o idoso resgate a própria vaidade – muitas vezes perdida nesse passar de anos – e a vontade de cuidar mais do corpo e da saúde. Isso aumenta a autoestima e melhora a qualidade de vida dessas pessoas.

 

 

Aumento da prática de atividades físicas

 

 

Para melhorarem a aparência e o ânimo, muitos começam a praticar mais atividades físicas, como a caminhada, o Pilates e a dança. Essa última, muitas vezes praticada em casal, durante o namoro na terceira idade.

 

 

Elas melhoram o condicionamento físico e também trazem benefícios emocionais. O corpo produz mais endorfina – o chamado hormônio da felicidade, que aumenta ainda mais a sensação de felicidade, diminuindo as dores no corpo e na cabeça.

 

 

Quebrando tabus: o resgate da sexualidade na velhice

 

 

Idosos se beijando

 

 

Muita gente ainda acredita que a terceira idade é uma fase de descanso e dedicação aos filhos e netos, deixando a afetividade e sexualidade fora do dia a dia. Isso é mito e precisa ser quebrado.

 

 

O sexo na terceira idade não apenas é permitido, como é um direito e faz muito bem à saúde. Entre os benefícios estão:

 

 

  • Melhoria da autoestima;

 

  • Redução da pressão arterial;

 

  • Diminuição do risco de infarto;

 

  • Alívio do estresse;

 

  • Aumento da imunidade contra doenças infecciosas e resfriados;

 

  • Combate à incontinência urinária feminina;

 

  • Redução do risco de câncer de próstata;

 

  • Melhoria do sono;

 

  • Aumento da endorfina.

 

 

Mulheres têm menos vida sexual que os homens da mesma faixa de idade

 

 

Segundo um levantamento do Datafolha, feito com 2.732 pessoas, 53% dos idosos afirmam ter vida sexual ativa. Porém, quando os entrevistados são separados por gênero, 89% dos homens afirmam manter a prática, ao lado de apenas 29% das mulheres.

 

 

Uma das explicações é a diferença nos impactos decorrentes da idade. Por volta dos 40 anos as mulheres já começam a sentir os efeitos da menopausa, enquanto os homens ainda têm apetite aos 80.

 

 

Para o psicólogo e gerontólogo José Carlos Ferrigno, além dos fatores físicos, as questões culturais interferem muito na busca pelo prazer. “A mulher muitas vezes tem a ideia de que só vai fazer sexo se estiver bonita. Ou, mesmo que tenha a relação, fica mais concentrada em como está sendo avaliada.”

 

 

Para diminuir essa distância, é possível encontrar uma série de produtos no mercado que são soluções práticas para quem quer se manter sexualmente ativo, além de pílulas base de hormônios, que equilibram a libido.

 

 

Namoro na terceira idade: idosos também devem se proteger contra doenças

 

 

Quem opta pelo uso de medicamentos, deve administrá-los de forma correta. Caso contrário podem provocar problemas como infarto, arritmia cardíaca e queda de pressão. A orientação geral é procurar um médico e utilizar somente os remédios indicados por ele.

 

 

Outro fator de atenção é o risco de adquirir alguma doença sexualmente transmissível (DST). Como HIV e sífilis. O número de pessoas contaminadas vem aumentando e o principal motivo é a falta de uso de preservativos – que são distribuídas gratuitamente em posto de saúde.

 

 

Informação é essencial e nesse ponto, tanto médicos quanto familiares podem colaborar, conversando sobre os riscos do sexo desprotegido.

 

 

Onde conhecer pessoas novas?

 

 

Nessa fase, o ritmo diminui. Normalmente a pessoa está aposentada e se dedica mais à família. Mas ainda assim é possível manter uma rotina de atividades e ter a possibilidade de conhecer outras pessoas.

 

 

Frequente clubes e academias, participe de grupos de leituras, pratique trabalho voluntário, vá aos eventos realizados no seu bairro e conheça os espaços culturais da cidade.

 

 

Esteja aberto para novos contatos e não tenha medo de ser você mesmo. Aja naturalmente e aproveite o bem-estar proporcionado por cada momento.

 

 

Sites especializados ajudam a iniciar novas relações

 

 

Idoso no celular

 

 

Além de estarem mais ativos, os idosos também estão mais tecnológicos. Uma prova disso são os sites de namoro virtual voltados especificamente para quem busca um relacionamento na terceira idade.

 

 

Nesses sites, o usuário cria um perfil, define suas preferências e escolhe alguém para conversar. Depois, é possível falar por outros meios, como telefone ou mensagem, e até mesmo se encontrar pessoalmente.

 

 

Vale lembrar que, ao entrar em contato pela internet, todo cuidado é pouco. Evite passar dados pessoais, fique atento a todo tipo de conversa e, ao marcar um encontro, opte por um lugar de grande movimento e sempre avise a um conhecido para onde está indo.

 

 

Família deve dar suporte e respeito

 

 

Para as famílias que vivem esse momento em que os pais ou avós estão iniciando uma nova relação, o principal conselho é dar suporte e buscar conhecer o parceiro.

 

 

Preocupações sobre as intenções e caráter do companheiro são normais, mas cabe aos parentes respeitarem o desejo do idoso. Lembre-se: ele é um adulto e sabe fazer suas próprias escolhas.

 

 

Leia nosso artigo sobre autoestima na terceira idade e descubra outras formas de deixar o idoso cada vez mais feliz consigo mesmo!

Comentários